Crises

O comportamento no namoro

Somos capazes de aprender a partir dos fatos. Através de nossas experiências podemos estabelecer conceitos para aquilo que desejamos como plano de vida para o futuro.
A nossa experiência de vida não se fundamenta em intuições, mas em situações que a partir de fatos vividos e das suas conseqüências contribuíram para a formação do conhecimento seja na maneira de conviver, evitar uma discussão ou até mesmo de romper um relacionamento quando se percebe que os propósitos dos casais divergem em muitas coisas. Continuar a ler

O desejo por revanches

O desejo por revanches não pode encontrar espaços dentro de um relacionamento. Infelizmente, há pessoas que não aceitam as nossas desculpas. Preferem romper com os laços afetivos em vez de crescer e amadurecer por meio dos exercícios apresentados pela vida. Insistem em manter a irredutibilidade e a prepotência, que pensam possuir, em vez de dar o passo que romperá com as cadeias que as prendem.
Talvez querendo cumprir a lei do “olho por olho, dente por dente”, esperam por um momento de revanche.

Continuar a ler

Perdoar não é esquecer

Pedir ou conceder perdão não nos exige mais do que podemos agüentar. Sabemos de pessoas que gastam muito tempo buscando motivos para justificar suas infelizes atitudes, fazendo-se de injustiçadas, em vez de adotar gestos de humildade e agir de maneira diferente. Na verdade, elas são vítimas do orgulho, que mata pessoas e sentimentos! Continuar a ler

Onde mora o orgulho?

Onde mora o orgulho?
A vida é muito curta para se gastar o precioso tempo com comportamentos que não trazem a sustentabilidade de nossas convivências. Pedir ou conceder perdão não nos exige mais do que podemos agüentar.
Sabemos de pessoas que gastam muito tempo buscando motivos para justificar suas infelizes atitudes, fazendo-se de injustiçadas Continuar a ler